quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Sim, é felicidade verdadeira quando o amor descobre sua essência no ato de abaixar-se, no mesmo trajeto que Jesus fez. É felicidade profunda, mesmo numa dor aguda, no questionamento silencioso de José, na oferta da Virgem Maria, no pecado de Madalena ou na espera de Isabel. Quero eu esperar um pouco mais até que o outro chegue, para que eu não caminhe sozinha. Quero também ser esperada, pois caminho a passos lentos e por vezes preciso de auxílio. Sim, é verdade libertadora escolher por um caminho errado e depois optar pelo Caminho. É respiração tão profunda, que desce quase no ventre, poder apresentar a Ele o meu coração, meu desejo de voltar e ter a certeza de que para Deus, eu sou muito mais do que aparento ser, muito mais do que uma escolha, muito mais do que uma marca. Deus me ama inteiramente, no passado, no presente e na feliz resposta de construir um futuro santo, um futuro feliz.

"Se compreenderdes estas coisas, sereis felizes,
sob condição de as praticardes. " Jo 13,17

Ah, se houvesse em mim tamanha fidelidade que me desse condições de responder, sempre no amor, na verdade, na precisão. Ah, se houvesse no meu coração humildade para acolher com serenidade os meus erros e, deste modo, contar com a graça e a misericórdia – elementos fundamentais para quem é chamado a uma vida consagrada, separada para Ele. Mas aqui dentro fala um coração humano, tão humano que, mesmo após a marca da perfeição de Deus, é imperfeito. Quer ser divino, mas oscila nos desejos velhos, nas confusões, numa decisão, escolha errada. Um coração que deseja se configurar ao coração do Mestre, mas precisa aprender tanta coisa... Um coração de discípula, que insiste em fazer, mesmo sendo chamado primeiro a ser. Um coração sedento, teimoso, cansado, medroso. Um coração de mulher, de missionária, de consagrada...
Sim, é alegria profunda ter esse coração nas mãos e decidir a quem entregá-lo. É experiência de amor autêntico contemplar as feridas, os enganos, os desencontros que esse meu coração me sugere que eu viva e achar referência na vida de Jesus, nas respostas dEle, no coração dEle.
Esse é o meu coração, é o meu amor.

Sossega, coração. Sossega, alma minha.

O Senhor está no comando e também tem um coração.

Um comentário:

Juliana disse...

Como já te disse. Falar o que sente, pode ser difícil, mas é o que arrasta!
Por ser vida..Inflama e atinge, ou será, atinge e inflama!rsrsr
Deus abençoe!