quarta-feira, 19 de março de 2008

Cruz

É inevitável experimentar do Amor e não mergulhar no mistério da cruz...

Obrigada, Senhor, porque a iniciativa é sempre Tua!

E mesmo sem calcular ou medir os sacrifícios que escolhi para acompanhar-Te na subida ao monte, Tua Providência reuniu cuidadosamente o que é importante e essencial para a minha desinstalação. O lugar que era seguro já não me sustenta... Assim, só tenho a Ti.

Como disse a pequena madre de Calcutá "Quando é amor, dói".

Aqui estou, inteira e fragmentada, disposta a subir Contigo e no terceiro dia me alegrar com a promessa cumprida.

Um comentário:

Pelirroja disse...

E o pão de qiejo, Dona Narlla?

Saudades, viu!Rum!
;*