terça-feira, 2 de setembro de 2008

Era uma vez um carro de luxo, chão de terra batida...

Fui ao cinema para dar uma desopilada. Segunda-feira é um ótimo dia para isso, rs. Eu não sou crítica, não entendo bolinhas, mas acho que deve ser interessante ler o olhar de quem não entende. [É? rs]. Filme de Breno Silva, mesmo diretor de "2 Filhos de Francisco". Era uma vez conta a história de um jovem pobre que se apaixona por uma moça rica. Dizer que o filme mostra um abismo social e uma soma cultural impressionante, não é novidade.
A única coisa que não esperei no filme foi a permissão do pai da menina para o relacionamento dos dois (rs), o resto, mesmo dentro de uma esfera romântica e humana, era absolutamente previsível. Mas o filme é uma gracinha, rs!
Achei interessante observar, de minha parte, o comportamento diante das cenas apresentadas, - não foi nada parecido com "Cidade de Deus" e coisas do gênero - mas tinha um vocabulário repleto de gírias, palavrões, degradação humana, social e espiritual. Se Maquiavel estivesse comigo na sala de cinema, certamente ele poderia ilustrar muito bem sua máxima. "Os fins justificam os meios"¹. É mais ou menos a política governamental do Brasil, só que nas favelas, periferias, em locais onde as pessoas acham que não têm muito mais o que perder, trata-se de uma realidade aceitável e necessária para a sobrevivência. Na verdade, acho que nem é só nesses lugares. As pessoas estão tão vazias de sentido que os valores perdem o referencial, então, o que vier é lucro.
Parece que dentro de mim explodiu o meu eu revolucionário, aqueles desejos insanos de mudar o mundo (risos). Digo insano, porquê, no meu caso, sempre pareceu mais fácil mudar o mundo do que mudar a mim mesma. Incoerente, né?
A única coisa que eu pensava ao assistir o filme era de comprar uma passagem, embarcar para o Rio de Janeiro e subir o morro para anunciar a Paz, mas ao mesmo tempo, minha inteligência me afrontava... Só sou capaz de dar o que eu possuo.
Depois do lapso, comecei a lembrar da minha vida, do meu quarto, dos meus relacionamentos e da realidade de Brasília. Há tanto que se fazer... Há tanto que crescer, que caminhar.
Ao mesmo tempo, eu sei que, enquanto olho para o meu umbigo, para as minhas coisas, meu particular, nunca poderei provar da vida do outro, especialmente, a realidade que sofre.
Poderia muito bem aplicar os conceitos mais amorais possíveis para sugerir a solução dos problemas do mundo, os meus, os seus. O questionável é a busca de respostas ineficazes para problemas com solução de natureza específica, eles, além de não serem esgotados, geram outros, e outros e outros. Deus é a resposta definitiva e eficiente... Isso faz todo sentido.

"Somente Jesus de Nazaré é capaz de satisfazer as aspirações mais profundas do coração humano" - João Paulo II
Ps: Vale a pena assistir o filme! (rs)

---
[1] O Príncipe - Maquiavel

5 comentários:

Abel Chiaro disse...

Whoa, amiguinha, direto ao ponto! Foi Deus quem te mandou me dizer isso, é? =P

Brincadeiras à parte, rezo para que os cristãos saibamos todos ser humildes para nos transformarmos verdadeiramente em “outros Cristos”, “para que o mundo creia”…

Abração!

Lu disse...

Amiga, lindas palavras. Falta-nos esperança, amor, cumplicidade, Deus... a todos nós...

Bjao

CLETON disse...

Ei o Rio te espera ansiosamente!!!
=]

Paulo disse...

Quando você diz "...sempre pareceu mais fácil mudar o mundo do que mudar a mim mesma. Incoerente, né?", me lembrei de Arnaldo Jabour quando diz "...Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro?" e a partir dai a tendência das coisas é desandar. Por que? Sei que com os 80 % que temos (talvez mais, talvez menos) podemos começar algo, mas que EU comece e não espere o outro, que cresça minha maturidade e obediência a Cristo. Quem sabe ele não me leva ao Rio.

Paulo Chaves disse...

Acredito que ser cristão exige um exercício constante de tocar com a alma realidades que nossas mãos não alcançam... O que minhas mãos alcançam é o que minha missão toca; onde não posso ir, posso alcançar com minha oração por aqueles que lá podem agir.
"Deus é a resposta definitiva e eficiente", cabe a nós torná-la conhecida, aos poucos, por dentro, como "um pouco de fermento leveda toda a massa" (Gl 5, 9).

Jesus esteja em sua alma