segunda-feira, 14 de março de 2011

Hoje é o Dia da Poesia!

Um pequeno lembrete, desses que a gente cola na geladeira quando quer chamar a atenção de quem ama... Ou gruda na cabeceira da cama...
É, é só um lembrete.

A vida não é uma poesia, mas pode ser mais graciosa se temos tempo de enxergar todos os poemas que Deus nos comunica a partir dos pequenos detalhes.

Para enriquecer o "lembrete", que está virando carta, um texto de Vínícius... Afinal, hoje é segunda-feira e todo mundo merece um agrado como esse.

Deus abençoe vocês!



O Verbo no Infinito

de Vinícius de Moraes

Ser criado, gerar-se, transformar
O amor em carne e a carne em amor; nascer
Respirar, e chorar, e adormecer
E se nutrir para poder chorar

Para poder nutrir-se; e despertar
Um dia à luz e ver, ao mundo e ouvir
E começar a amar e então sorrir
E então sorrir para poder chorar.

E crescer, e saber, e ser, e haver
E perder, e sofrer, e ter horror
De ser e amar, e se sentir maldito

E esquecer tudo ao vir um novo amor
E viver esse amor até morrer
E ir conjugar o verbo no infinito…

-----------------------------------------------------------------------------------------


ps: Feliz Aniversário, Eliete. Você é um tesouro!
ps2: Sobre a foto, tenho um carinho especial por ela... Recebi flores virtuais do Camilo quando ele morou na Inglaterra. <3

Um comentário:

Silvio disse...

Dia da Poesia !!! Que boa notícia !! Gosto de pessoas que tentam se expressar através das palavras.
Gosto deste simples poema:


Se uma ostra é ferida ou maculada
e se algo estranho invade seu interior
Logo ela lança sobre a parte indesejada
Uma substância que proteja o seu interior

Após uma espera sofrida e demorada
Aquilo que um dia lhe causou uma dor
Se transformou, de uma ferida cicatrizada
Em uma pérola de inestimável valor

Em nossa história, que de dores foi tão marcada
Momentos não faltaram de dúvidas e temor
Que nos levaram a questionar o porque desta caminhada

Mas ao cobrir as feridas de um sentimento terno e acolhedor
contemplamos com nossa história, por Deus abençoada
que a dor é a matéria-prima do amor