domingo, 18 de janeiro de 2009

A alegria de ser pobre.

Nas últimas semanas tenho refletido sobre a pobreza que sou chamada a viver. Ouso escrever hoje, mas longe da pretensão de esgotar ou fazer perceber que vivo plenamente esse doce convite de Deus.
Confesso que para mim também é difícil ser pobre. Não necessariamente pobre de pão, de dinheiro, de matéria... Mas ser pobre o bastante para perceber e acolher que nada do que imagino ter, possuir ou conquistar é, de fato, meu. Nem a vida que Deus soprou no meu peito é minha. Vida que é objeto de tantos conflitos e achismos, tantas vezes é assaltada pelo falso pensamento de que posso fazer dela o que bem entendo.
Quero partilhar hoje da alegria de ser pobre. A alegria de depender da providência. Partilhar da imensa alegria de, em meio às dores, poder contar com Deus, poder contar com os meus irmãos - especialmente aqueles que cuidam do que é meu como se fosse deles. Ter a certeza mais profunda que, mesmo na situação mais incoerente, difícil, angustiante, Ele mesmo é o meu sustento, o sustento da minha família, das pessoas que eu amo, de todo homem e mulher que existe nesse mundo.
Partilho da alegria de pertencer a Deus, Deus que é o Autor da minha vida e o dono dela. O Senhor e o Salvador. A imensa alegria de oferecer a única coisa que tenho nas mãos... Ela, a minha vida. Embora não seja minha, a tenho em minhas mãos porque o Dono me deu liberdade. Liberdade de entregá-la, liberdade de tempo, escolha, decisão. Liberdade de dizer um sim para dizer um não. Liberdade de dizer um não para viver o sim. Deus que me confere liberdade de entregar minha miséria, limitação e por isso mesmo, me ama a ponto de transformar todas as minhas feridas purulentas e fétidas em chagas gloriosas.
Deus que, na pobreza minha de não ter nada e ter tudo, eleva minha condição, meus planos, meus sonhos, meus desejos. Deus, que recebendo meu louvor - linguagem dos pobres e das almas esposas - transforma minha vida. Transforma minha família, revela - sempre que necessário- o sentido da minha existência.
Pobre é o que sou, pobre é o que desejo ser... Pobre de nada ter, mas de ter Tudo.
Eis o que tenho hoje, Senhor. Ofertas, esperança, saudade, lágrimas, conquistas, mudanças, cuidado, violência, parresia, vontade... Eis o que tenho, eis o que sou.

4 comentários:

Paulo Chaves disse...

"Abandona os teus desejos e encontrarás o que deseja o teu coração". Ouvi outro dia a Ir. Kelly Patrícia dizer isso. Ou, nas palavras de S. João da Cruz, "se queres ter alguma coisa em tudo, não tens puramente em Deus teu tesouro".
Pobreza e liberdade... sinônimos? Creio que sim.

Jesus esteja em sua alma

Abel Chiaro disse...

Curioso: deixei pra ler esse post depois, e depois deixei de novo pra depois… e vim a lê-lo justo agora, na hora em que essas palavras eram exatamente o que eu precisava ler.

Ainda bem que não acredito em coincidência. :)

E, para completar o comentário do Paulo: “Aquele que te criou quer-te todo para Si.” (Santo Agostinho)

manuca disse...

Obrigada por vc se deixar ser essse dom de Deus em nossas vidas (em minha vida).
Pois suas palavras, como disse o Abel, são verdadeiramente o que estou vivendo hj mais não estava conseguindo dar nomes.
depois veja esse vídeo da Irmã Kelly Patrícia.
http://br.youtube.com/watch?v=CCfmpzCGN2Y

Nivaneide disse...

Obrigada pelo seu sim a Deus, ele me impulsiona a ir além. O que Deus tem feito em você e através de você me faz acreditar que somos um sonho lindo dele.
Obrigada!
E aos amigos que postam comentários, agradeço por me ensinarem que Deus me quer para si, simples, pobre e livre... Estamos unidos naquele que nos criou, como na música, "na estrada tão longe e na alma tão perto".
Deus os abençoe.